quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Idalina




Idalina era o teu nome...
Brincamos juntas em crianças...
Sonhamos tanta coisa...
Todas nós viriamos a ser princesas...
Íamos ter uma vida de sonho...
Afinal, querida prima...
Nada correu como os nossos sonhos...
Estudamos, trabalhamos...
Tu ficaste só cuidando da tua mãe...
Malvada doença que te apanhou...
Malvada doença que hoje te levou de nós...
Descansas enfim, mas tanto sofrimento...
Para quê meu Deus?
E os nossos sonhos desfeitos...
E a saudade que agora fica...
E a dor que sentimos...
E dos oito que eramos ficamos sete...
Quando teu corpo descer à terra...
As nossas lágrimas salgadas irão cair...
Cair na terra que te vai cobrir...
Sobre ela flores de várias cores
E nós voltaremos depois as costas...
Tristes, cabisbaixos, silenciosos...
Mas uma coisa é certa querida prima...
Nunca te esqueceremos...
Nas tuas veias corria sangue igual ao nosso...
Descansa agora em Paz para todo o sempre...



Enviar um comentário